Armageddon in Retrospect

Kurt Vonnegut
First published on the anniversary of Kurt Vonnegut's death, Armageddon in Retrospect is a collection of twelve new writings - a fitting tribute to the author, and an essential contribution to the discussion of war, peace and humanity's tendency towards violence. Imbued with Vonnegut's trademark rueful humour, the pieces range from a visceral non-fiction recollection of the destruction of Dresden - to a painfully funny short story about three soldiers and their fantasies of the perfect meal.

Reviews

Reviewed: 2020-11-15

Isto é uma antologia de textos sobre a guerra. Lê-se rápido, ele escreve bem e é divertido, mas só os 4 primeiros textos e o Guns Before Butter valem verdadeiramente a pena.

O primeiro é uma introdução comovente e elegante escrita pelo filho dele (isto é uma antologia póstuma).

Ele diz q a maneira q o pai tinha de ocupar o tempo (fechado numa sala a rasgar folhas de papel q tinha escrito) ‘seemed like an odd way for a grown-up to spend his time, but I was just a child who didn’t know much

Descreve-o como alguém sem confiança, sempre à espera de ficar sem ideias e de ver mesmo as suas boas ideias serem finalmente desmascaradas como embustes.

He worried that he had skinny legs and wasn’t a good tennis player

He had a hard time letting himself be happy, but couldn’t hide the glee he got from writing well.

In my early-to-mid-twenties, he let it slip that he was afraid that therapy might make him normal and well adjusted, and that would be the end of his writing. I tried to reassure him that psychiatrists weren’t nearly that good.

Ele conta q o pai teve um trabalho como jornalista para um jornal de desporto. Tinha q escrever um artigo sobre um cavalo que tinha saltado uma vedação e tentado fugir. Esteve horas à frente de uma folha, escreveu “The horse jumped over the fucking fence” e despediu-se.

Descreve a literatura como uma demonstração de que não estamos sozinhos, de que há mais a passar pelo mesmo e o pai como um extrovertido que queria ser introvertido, um tipo muito sociável que queria ser um solitário, uma pessoa sortuda que gostaria de ser azarada. Isto sou eu.

A carta do Kurt Vonnegut a contar à família que não morreu (durante a guerra) é de uma violência e de um sentido de humor incrível.

Na última conferência q escreveu (mas q n chegou a ler) diz: Tenho boas e más notícias. Estes são os melhores dos tempos e os piores dos tempos. So what else is new?

I love science and not only because it has given us the means to trash the planet, and I don’t like it here.

This is indeed the Apocalypse, the end of everything as prophesied by Saint John the Divine and Saint Kurt the Vonnegut.

Dps diz q se algum deles for condenado à morte, deve usar como palavras finais: Isto vai com certeza ensinar-me uma lição

If Jesus were alive today, we would kill him with lethal injection. I call that progress.

O Guns Before Butter é sobre uns tipos q estão presos pelos alemães durante a Guerra e só falam de comer. A certa altura, o carcereiro diz-lhes: eh pá, falem antes de gajas e pede a um q lhe descreva a namorada, se ela era bonita. Ele responde:

One time I was waiting for her to come downstairs and I watched her old lady make a lemon meringue pie (…) What she did was take some sugar and some cornstarch and a pinch of salt, and mix it in with a couple of cups of wat- eheheheheh

Item Posts
No posts